quinta-feira, agosto 27, 2009

O Bambu...


Hoje resolvi fazer um comentário sobre aqueles email's, mensagens reencaminhadas, que sempre recebo...Algumas amigas: Josefina, Sandra, Suzy, Adélia, Taninha, Micheline, enfim, sempre algumas mandam-me mensagens, entre tantas, lindas... reflexivas... e engraçadas, rsrs. E falo sinceramente pra elas que aaaaaaaaaamo recebê-las, leio todas e repasso várias. Muitas mensagens me fazem um bem ...Guardo todas!!!
Se observarem nesse diário, sempre aqui acolá, deixo uma ilustração, um texto, por que sempre gostei de ler e guardá-los e algumas vezes envio para alguém. Lembro de um fato e queria deixar registrado aqui...
Um dia conversando com uma amiga, descobri que ela também gostava de ilustrações e resolvi pegar algumas do meu arquivo e fazer uma pasta pra ela. Não sabia que surtiria tal efeito. Nossa!!!Ela ficou tão feliz, que de imediato ligou pra mim, agradecida e até chorou...Não esperava que iria deixá-la muito feliz. Soube também que sempre que tinha oportunidades, ela as lia na igreja que frequenta. Que bom...pelo menos ela gostou e soube aproveitá-las de alguma forma. E sempre há alguém que precisa ouvir uma dessas mensagens, que nos emociona, com o ponto de vista do autor. E falando nessa amiga, tem um texto que chamou não só a minha atenção, como a dela também, chama-se 'O Bambu'. Irei discriminá-lo abaixo, porém, queria comentar sobre. Diz respeito àquelas pessoas, que tem um chamado especial para com Deus. Pessoas que num determinado momento da vida, busca algo maior com Ele, deixa alguns fatores, que não satisfazem mais, por algo melhor a ser vivido, fazendo uma doação de si mesmo. Fazendo uma entrega da sua vida, como sacrifício perfeito e suave. Independente do seu estado civil, emprego, cor, raça, regionalidade. É quando sente uma vontade enorme e diz: 'Eis-me aqui Senhor!', em qualquer circunstância. E não posso esquecer de comentar que não é nada fácil fazer essa entrega. Fico feliz, porque essa minha amiga encontrou-se nesse texto, transpôs a sua vida para estória do bambu. E vejo várias pessoas, que já passaram por mim e ainda passam e vivem assim. Conheço pessoas que não conhecem a estória do bambu, mas é como se a conhecessem e vivem como tal, por isso, dedico essa postagem a esses homens e mulheres de Deus, que levam a bandeira das Boas Novas a muitos necessitados, espiritualmente. Que sejam sempre canal de bênçãos para muitos!!!
Já que você leu até aqui, leia o texto abaixo e você vai entender melhor a vida desses meus amigos...

O Bambu ...A leste de um País muito distante, e que era centro de grande reino, havia um jardim. O dono, Bem-Davi, gostava de passear naquele jardim ao calor do sol do meio dia. Admirava o viço de cada vegetal e o colorido das flores, que inebriavam o ambiente. Entre todos, porém, o que mais cativava Bem-Davi era um imponente bambu, o qual se tornara para o dono a mais bela e estimada de todas as árvores e plantas do jardim.
O bambu que, dia a dia, se adornava de nova beleza, estava ciente de que seu senhor o amava e tinha nele sua maior alegria.
Certo dia, Bem-Davi achegou-se muito pensativo, para bem perto de sua planta de estimação. O bambu, que tinha profundo respeito e veneração por seu dono, inclinou-se em humilde imponência até o chão...Aí estava ele como um submisso, mas sem jamais sonhar com o plano de seu senhor. Era o começo para um diálogo de grande significação. O primeiro a tomar a palavra foi o Bem-Davi:
- Querido bambu, eu preciso de ti...
O bambu, cujas folhas balançavam suavemente ao sopro do vento, estava feliz, por ter chegado o momento de fazer algo para o qual fora criado. Era, pois, momento muito especial de sua vida. Respondeu, então, baixinho:
- Senhor, estou pronto!... Faça uso de mim para o que quiser!
Com voz grave e fixando o olhar nele, disse-lhe Bem-Davi:
-Bambu, ...somente poderei fazer usar-te se eu te podar...
O bambu, estremecendo, exclamou:
- O senhor quer podar-me? ...Eu lhe peço, por favor, não faça isso! ...Deixe minha figura como está, veja como todos me admiram!
Bem-Davi, com a voz mais grave, mais imperiosa, retrucou:
- Meu terno bambu, não importa se és admirado ou não...devo podar-te, pois doutra maneira não poderei fazer uso de ti!...
Houve um momento de suspense...No jardim tudo se aquietou. Até a brisa reteve a respiração. Aquele silêncio questionava... E o belo bambu inclinou-se, numa aceitação quase forçada, e suscitou:
-Senhor, se não pode fazer uso de mim, sem eu passar pela poda, então faça comigo o que quiser!
-Meu querido bambu, devo cortar-te também as folhas...
-Minhas folhas? Será possível? Preserva-me deste mal. Destrua minha beleza, mas deixe-me as folhas!
- Meu querido bambu, devo cortar-te também as folhas. Sem cortar tuas folhas não poderei usar-te.
O ambiente parecia atemorizar-se. O sol escondeu-se uma borboleta afastou-se depressa...
E o bambu, ainda trêmulo, disse a meia voz:
- Senhor, pode cortar minha folhagem!
- Meu querido bambu, isso ainda não me basta, deverei cortar-te pelo meio e tomar também teu coração. Se assim não fizer, não poderei fazer usar-te.
A exigência chegara ao extremo. E o bambu disse:
- Como poderei viver sem coração?
- Só posso repetir. Deverei tomar teu coração, caso contrário, não servirás para meu uso!
O bambu inclinou-se até o chão:
- Senhor, corte e divida...
Então Bem-Davi desfolhou o bambu, decepou seus galhos, partiu-o em duas partes e arrancou-lhe o coração.
Levou-o para os campos ressequidos a uma fonte de onde brotavam águas cristalinas. Ali deitou, cuidadosamente, o seu querido bambu. Ligou à fonte uma extremidade do tronco partido e a outra foi fixada no canal dos campos.
A fonte entoou uma bela canção e as águas borbulhantes precipitaram-se alegres sobre o despedaçado bambu até o canal, de onde puderam transbordar sobre os campos ressequidos, que tanto suspiravam pelas águas. Fez-se, então, o plantio de arroz. Os dias foram passando... a terra continuava recebendo água da fonte, através do bambu. A sementeira cresceu , deu frutos e veio o tempo da colheita. O deserto torna-se oásis.
Assim o esbelto bambu de outrora transformou-se em grande bênção em seu aniquilamento. Desempenhou função vital, tornando-se útil. Enquanto era grande e belo servia somente a si, alegrava-se com sua própria beleza, mas, na doação, tornou-se canal do qual o senhor se serviu para tornar fecundo o seu reino. Muitos viveram do bem que emanava do novo canal. Foi do aniquilamento que surgiu a vida. Foi da humilhação que surgiu o amor.
- Senhor, em minha vida: toma, corta, divide para melhor servir a meus irmãos...

Que você também possa sentir vontade de ser um 'Bambu' nas mãos do Senhor, basta apenas ter coragem!!!
Abraços e até breve!!!

Um comentário:

  1. Linda mensagem!!!! amei!!!
    Deus abençoe sua vida!!!
    bjkas Jaja

    ResponderExcluir

Esse cantinho é só seu...Fique à vontade!!!